49 99824-8589   pedrosa@pedrosaprevidente.com.br

ACESSE O ESCRITÓRIO ONLINE

Reforma da Previdência

  • Início
  • -
  • Reforma da Previdência
  • Romany R. Rodrigues
  • 25 de novembro de 2019

REFORMA DA PREVIDÊNCIA E A PARTE CRUEL DAS NOVAS REGRAS

REFORMA DA PREVIDÊNCIA E A PARTE CRUEL DAS NOVAS REGRAS


As regras trazidas pela Reforma da Previdência poderão reduzir pela metade os benefícios mantidos pelo INSS.
A aposentadoria por invalidez é um dos exemplos dessa medida. Ele será substituído pela aposentadoria por incapacidade permanente, e terá seu valor de benefício reduzido em até 40%.


Outro exemplo de benefício, que no texto da Lei não deixará de existir, mas também terá seu valor reduzido é a pensão por morte.
Segundo dados do boletim estatístico da Previdência Social, até outubro de 2018, de todos os benefícios concedidos pelo INSS, 47,78%  foram de auxílio-doença comum, o que em números concretos, totalizam 212.381 pessoas.


Já os afastados por acidente de trabalho foram 1.888 pessoas.


Com a alteração na Lei, a hipótese de algum dos segurados dentre os 212.381 afastados por doença comum evoluir para uma incapacidade permanente, entra na crueldade da reforma.


Aqui, é preciso observar que, em situações desse porte, há o aparecimento de 3 graves circunstâncias para o trabalhador(a):


1) Não poderá exercer o trabalho habitual, o que compromete sua situação financeira, estando dependente do INSS;


2) Apresenta doença grave e irreversível, de forma que irá necessitar de cuidados médicos e tratamento medicamentoso.


3) Terá necessidades que antes não tinha, e consequentemente,  maiores custos, sobrecarregando de forma insuportável a renda familiar, comprometendo a sua manutenção e a qualidade de vida de todos os membros.


Pelas regras antigas, esse mesmo trabalhador(a) iria se aposentar por invalidez, com o valor do benefício sendo calculado em 100% da sua melhor média de contribuição.


Ou seja, receberia o mesmo valor ou muito próximo a renda de quando estava trabalhando, e na qual organizou as suas necessidades.


Porém, com as regras que já estão valendo, o percentual de 100% cai para 60% da média salarial. Sobre esse percentual, é acrescido 2% por ano que ultrapassar 20 anos de contribuição, homens, e 15 anos, mulheres.


Por exemplo, um trabalhador com 23 anos de contribuição e salário de R$ 3 mil reais. A média das contribuições será de 60%, contadas desde julho de 1994 e sem mais desconsiderar os 20% menores salários, como outrora.


Ou seja, aqui já haverá uma drástica redução.


Considerando que perca só 15% (R$ 450,00 reais), terá a média de R$ 2.550,00 reais, onde será aplicado o percentual de 60%, resultando num valor inicial de R$ 1.530,00.


Como trabalhou por 23 anos, irá somar 2% por cada ano acima dos 20, o que resulta em 6% a mais.


Assim, o percentual total do benefício será de 66%, que dará ao final, um valor de aposentadoria de apenas R$ 1.683,00!


Este trabalhador, que pagou INSS por 23 anos, acostumado a organizar sua vida em torno de uma renda de R$ 3 mil reais, terá que sobreviver, doente e incapacitado, com gastos maiores, apenas com o valor de R$ 1.683,00.


São R$ 1.317,00 reais a menos. Uma situação incômoda e que não vêm sozinha.


Suponha que este trabalhador, por motivo da doença acabe por vir a óbito. Aqui, há 2 situações a serem destacadas:


1º) Trabalhador casado e sem filhos: A viúva irá receber 50% da média + 10% referente ela ser a única dependente. Ou seja, vai receber de pensão, o valor de  R$ 1.530,00.


2º) Trabalhador casado e com dois filhos menores: Neste caso, o valor da pensão por morte seria de 50% + 10% por dependente, totalizando 80%.
Assim, aplicando o percentual de 80% na média (R$ 2.550,00) temos um pequeno acréscimo, resultando no valor de R$ 2.040,00 reais, que, com a maioridade dos filhos, não acresce na cota da viúva. 


Portanto, as alterações no aumento da contribuição e redução do salário de benefício são as partes mais cruéis da Reforma da Previdência. Ela vai deixar desamparado não só o segurado, mas toda a sua família, gerando com o tempo, um problema social de vasta dimensão.


Importante esclarecer que nos casos em que a invalidez seja decorrente de acidente de trabalho ou doença ocupacional, o percentual adotado continua sendo de 100% da média.


Dessa forma, resta analisar os possíveis cenários e estudar a possibilidade de fazer um plano de previdência complementar, principalmente, considerando infortúnio de invalidez e/ou pensão por morte.


Gostou da informação? Compartilhe nos grupos em que participa. Seja um agente da informação!


Se ainda tem dúvidas sobre o tempo de contribuição que possui, utilize nossa CALCULADORA ou adicione o Whatsapp (49) 9.9824-8589 na agenda do seu celular e nos envie uma mensagem.


Agora é hora de analisar as circunstâncias e ser previdente!

 

Leia mais:

 

SE VOCÊ TEM DE 21 A 24 ANOS DE INSALUBRIDADE PRECISA SABER ISSO

 

CONHEÇA OS 3 PONTOS QUE JÁ ESTÃO VALENDO COM A REFORMA DA PREVIDÊNCIA
 

PROJETO DA NOVA APOSENTADORIA ESPECIAL E O PASSO A PASSO NO CONGRESSO
 

Envie-nos um e-mail para: pedrosa@pedrosaprevidente.com.br
Deixe sua opinião nos comentários do post,
Inscreva-se no Canal do Youtube da Pedrosa Previdente ou
Curta nossas publicações no Instagram e na nossa Fanpage!

 

 

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS


Perguntas Frequentes

1Como funciona o Escritório Online?

Escritório Online consiste num modelo de escritório virtual que utiliza dispositivos digitais para possibilitar o contato com clientes de forma ágil e segura. Nada mais é que uma ferramenta que possibilita o contato Cliente x Especialista, com intuito de esclarecer todas as dúvidas concernentes a aposentadorias, revisões, auxílios e demais prestações previdenciárias.

2Quais as vantagens da Advocacia Online?

A grande vantagem é a economia de tempo e redução de custos. O cliente não necessita se deslocar e aguardar no escritório físico, evitando gastos com passagem ou combustível e estacionamento. Também não tem o stress do trânsito das grandes cidades, além de ainda proporcionar a vantagem da rapidez na resposta de alguma dúvida de baixa complexidade e com privacidade.

3Como é realizado o atendimento online?

O atendimento será realizado via e-mail ou whatsapp. Primeiramente, é necessário clicar na aba “Escritório Online” e preencher os campos definidos como obrigatórios. Feito isso, um de nossos Especialistas irá entrar em contato (e-mail ou whatsapp) e irá verificar quais são as suas dúvidas. Neste primeiro contato o foco é esclarecê-las com base nas informações reportadas e em documentos acessados diretamente da página do INSS – www.meuinss.gov.br.
Caso seja necessário, serão solicitados documentos para complementar a análise do caso.

4Qual horário de funcionamento?

O Escritório Online funciona de segunda a sexta, em horário comercial, das 08h até as 18h, sem intervalo de almoço.
Se alguma mensagem for enviada fora deste horário, no primeiro momento do início de expediente é verificado o pedido de contato e o mesmo é realizado seguindo a ordem em que chegou.

5Que tipo de documentos podem ser solicitados?

Os documentos vão desde certidões de nascimento e casamento, atestados médicos e exames, CTPS, formulários PPP e laudos ambientais, que servem para caracterizar em quais condições se pode dar uma aposentadoria, auxílio-doença, pensão, etc.

6Caso seja solicitado o envio da documentação, como proceder?

Basta encaminhar por meio de digitalização ou foto (em arquivos jpg. ou pdf.), via e-mail ou whatsapp. Atualmente, com a inovação trazida pelo MEU INSS e pelos Tribunais Eletrônicos, não há exigência dos documentos serem originais.

7E se necessário um atendimento mais “pessoal” com o Especialista?

Em casos de maior complexidade, pode-se agendar reunião online, via videochamada pelo aplicativo whatsapp, ou videoconferência pelo aplicativo Skype, em data e horário a ser combinado.

8Quem será responsável pela análise e acompanhamento do caso?

O Escritório Online é composto por uma equipe de advogados especialistas na área previdenciária. São eles que acompanharam os casos desde o início até a possível solução.

9Sobre a privacidade, dados pessoais serão realmente preservados?

Sim. Todos os dados são mantidos em total sigilo. Somente nossos advogados, que os representarão administrativa ou judicialmente é que terão acesso aos mesmos.

Você tem mais alguma dúvida?
Deixe sua pergunta aqui.

ENTRE EM CONTATO
Fale com um Especialista
WHATSAPP

Receba novidades